11.18.2013

Os jornalistas e o BPMN, o que ?

O profissional de Implementação BPMN e a realidade... e os jornalistas ?

Frequentemente nos deparamos com questões a respeito das habilidades e conhecimentos do Analista de Processos, também chamado de Analista de Negócios ou ainda de Analista de O&M (Organização e Métodos), o que nos leva a crer que não é clara a descrição do perfil para este papel e nem seja consenso no mercado a definição de suas atribuições e responsabilidades. A partir de uma visão ampla do que é a Gestão de Processos de Negócio (BPM – Business Process Management), percebemos a necessidade de adequação nas responsabilidades deste profissional, cada vez mais necessário nas organizações.

O Analista de Processos ainda é visto em algumas empresas como um cargo meramente operacional, dedicado a executar demandas de mapeamento e/ou desenho dos processos atuais, sendo conhecido por estar rodeado de fluxos e matrizes de impacto. Porém, com a crescente competitividade e busca por soluções visando uma maior constância das organizações, hoje o mercado demanda um profissional de processos com ampla visão estratégica, foco no negócio da empresa e que seja o elo de ligação entre as áreas de negócio e as áreas de apoio, como TI e RH, não apenas transmitindo necessidades das áreas interessadas, mas como um facilitador da comunicação entre as partes.
Este profissional deve expandir a abrangência do seu papel atual, tendo como objetivo sempre a busca pela melhoria do resultado dos processos e, conseqüentemente, da empresa, procurando assim integrar os objetivos organizacionais com os objetivos dos processos da cadeia de valor da empresa. Para isto, é necessário que ele identifique e implante melhorias tanto nas atividades manuais (processos e pessoas) como também através de automações, tarefas estas que só se tornam possíveis mediante a integração e envolvimento no trabalho das áreas envolvidas. Assim, este novo papel não apenas sugere que o profissional execute suas atividades operacionais de mapeamento, mas que seja um multiplicador e motivador em toda a empresa da importância da Gestão de Processos de Negócio como uma iniciativa contínua de melhoria e parte integrante do modelo de gestão da empresa.
O contexto de atividades deste profissional não podemos esquecer que é derivativo da UML - Unified Model Language que é matemática, exata para apoio em definição de requisitos para construir um software são parte de passos para desde requisitos até o que antecede a implementação, testes e homologação de um software bem construído, a UML deve é consolidou seu lugar o que derivou o entendimento não só por arquitetos de software, engenheiros de software, programadores, administradores de sistema de banco de dados mas por chamados " stakeholders "ou agentes de negócio do projetos onde eles definem os requisitos em nesta classe há camadas e uma delas é o analista de negócio onde empresas tentam antes de escolherem um software pré-pronto a ser customizados dentro de uma framework definida a adequar aos requisitos funcionais com pseudos linguagens que estes especialista em fluxos de negócios e não em fluxo de linguagem de programação, foi assim resumidamente nesta minha tentativa de explicar criada notações derivadas da UML como o BPMN ou Business Process Management Notation com uma carga mais de subjetividade do que a objetividade de diagramas dinâmicos e estáticos da UML.
BPMN to UML to PROGRAM Ok ?  Entenderam ??!!! 


Neste tempo estamos ainda em um momento de transição, é natural que tanto alguns profissionais como algumas corporações ainda estejam se adequando a este modelo proposto.

Há muitas dúvidas neste mercado onde empresas não querem entender que as vezes escolher um software pronto ou desenvolver um próprio há passos que devem seguir e são pulados como um tema  ineterssante como este é  quem controla a internet são os jornalistas que se renderam a internet ou dos "INFORMATAS" que criaram a internet ??  Quem ?  


No comments: